21 março 2009

Jovem ligado a Darwin estrela os filmes de Nárnia

Nas telas ele foi o menino malvado e traidor que vendeu seus irmãos à Feiticeira Branca em O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa. Na vida real, Skandar Keynes, garoto de Highbury, é um jovem galã de Hollywood talentoso e perfeccionista que tem entre seus ancestrais, Charles Darwin, o economista John Maynard Keynes, o político Tony Benn e Rei Eduardo I.

Skandar, que tem dezessete anos, trouxe um pouco de aventura para a escola Willian Tyndale em Islington na quarta-feira quando apresentou um baú com alguns tesouros para ajudar as crianças a emular alguns dos experimentos mais simples de seu tatataravô, Charles Darwin. Skandar, ex-estudante da escola primária Tornhill em Barnsbury que agora frequenta a City of London School, está estudando ciências para seus exames, A-level.

Falando exclusivamente ao Tribune, ele disse: "Estou estudando biologia, química, matemática, álgebra e história. Quando estava escolhendo o que estudar pensei em ciências. Não é algo que eu vá captar com facilidade no futuro como literatura inglesa."

Ele está certo de que as filmagens - o trabalho no terceiro filme de As Crônicas de Nárnia começa em julho na Austrália - não irá distrai-lo de seus deveres. "Não é difícil focar no trabalho," diz ele.

A visita à William Tyndale foi agendada para coincidir com o 200º aniversário de Darwin. Ele disse: "Meu pai me perguntou se eu queria fazer isso. Sei um pouco sobre Darwin. Acredito em tudo o que ele dizia. Não era tudo tão óbvio pra mim mas tinha noção disso."

O baú, iniciado como um projeto entre a Wellcome Trust e a Royal Botanic Gardens, contém adesivos, uma prensa para plantas, um pequeno banco de sementes e outros recursos para incentivar as crianças a participarem da Grande Busca pelas Plantas de Kew. William Tyndale foi a única escola de Islington a receber o baú.

A diretora, Tanya Watson, disse: "As crianças adoraram. Para elas foi uma oportunidade esplêndida receber a visita de um jovem ator muito conhecido e descendente direto de Darwin. Qualquer coisa que faça da ciência uma experiência criativa para as crianças só pode ser bom. É bom para abrir as cabeças das crianças ainda mais, manter a noção do mundo ao seu redor e não ver a ciência só como uma matéria qualquer."

Angela MacFarlane, de Royal Botanic Gardens disse: "O projeto celebra o cientista Darwin e mostra às crianças que, embora ele tenha sido um gênio, o jeito como ele demonstrava a ciência fazia uso de técnicas simples, olhando com atenção ao que existia ao seu redor. Elas podem sair e fazer algumas coisas que Darwin fez. Eles podem mandar as informações que obterem à Kew. Estamos preparando a maior coleção de sementes de margaridas do mundo com as quais cientistas da Kew estarão fazendo alguns experimentos."

Tradução Nina Tavares (equipe MundoNarnia)

Texto retirado do site Mundo Nárnia.

Nenhum comentário: