03 maio 2009

Um minutinho de atenção

Bom, pessoal, há muito que venho me enrolando para escrever sobre o que vou escrever hoje. É um assunto meio chato, e de certo algumas pessoas não deveriam ler o que escreverei aqui. Aliás, esqueça o que acabo de escrever, todos devem ler o que vou escrever (incluo a mim própria), somos um grupo em torno de um objetivo comum e, como tal, todos estão envolvidos no assunto. Então, vamos parar de enrolação e vamos direto a eles.
Somos um fã clube, certo? E o que é um fã clube? São fãs de um artista que se unem para, juntos, realizarem projetos, discussões e tudo o mais que diga respeito a tala artista, no nosso caso, o Skandar Keynes. Como fã clube deveriamos todos nos ajudar, somos todos iguais, ninguém pode mais ou menos. Agora tu vem e me diz: e as responsáveis pelo FC? Bom, eu respondo. As responsáveis pelo FC tem como principal função facilitar a organização e as resoluções do FC. Eu explico.
Já tentou-se uma vez reunir várias pessoas em uma única conversa para se poder decidir algo. Resultado: falou-se, falou-se e não se decidiu nada, ficava-se sempre ao redor do mesmo assunto, sem falar, é claro, que algumas pessoas apenas assistiam a conversa, sem opinar. Então, agora, para facilitar, uma ou outra fica responsável por algo e explica tudo direitinho às outras.
O grande problema é que, na hora de fazer o projeto todo mundo quer e, na hora de realizá-lo, simplesmente não dá certo. Por quê? Não sei dizer. Preguiça? Alguma dificuldade? Medo de enfrentar alguma complicação familiar que a realização de tal projeto traria? Eu simplesmente não sei.
Digo complicação familiar em alusão a um problema que está se dando com dois projetos: o da caixa pro SK e o da carteirinha. Que problema? O dinheiro. Muitas das pessoas que se propuseram a participar dos projetos não está conseguindo enviar o dinheiro para a Letícia, responsável por ambos projetos. E se não há dinheiro, como haverá realização do projeto? A Letícia não pode e não deve sair patrocinando tudo que tem relação com o FC. 'Já que sabe qual é o problema, então diga uma solução', tu deve estar me dizendo agora. Bem, vou tentar dar uma solução.
Sei que não é fácil lidar com certos pais, sei o quanto eles desconfiam de nós, mas temos que criar coragem para assumir nossas decisões. Como será enviado o dinheiro pra Letícia? Por depósito de banco, na conta da mãe dela. Sinceramente acho que não haveria grande problema se cada uma deixasse de lado a compra de algo para pegar o dinheiro para o respectivo projeto pelo qual se está interessada, valor que, diga-se de passagem, não será alto se todas participarem, e ir até o banco depositar. Não é preciso fazer um fuzuê em casa pra brigar com os pais e ainda assim não ajudar o FC.
Bem, pessoal, talvez eu esteja sendo dura demais, eu sei, mas realmente temos que levar mais a sério esse FC senão nunca dará certo. Para dar certo precisamos de todos os membros ativos, participando, ajudando no que puder. Talvez tu não esteja gostando de alguma coisa, nesse caso, fale. Como vamos fazer um FC bom pra todos senão sabemos o que todos consideram bom?
E tu? Tu aí, que visita o blog mas não participa do FC oficialmente? Não participa por quê? Não tem orkut? Preguiça? Ou alguma outra razão? Para tudo dá-se um jeito desde que se tenha real vontade. Este é o meu apelo. Vontade e participação de todos nós. O que eu quero que tu faça agora? Vá lá na comunidade do orkut, no tópico do blog, e diga exatamente o que achou do post e dê sua sugestão, crítica ou elogio. Se preferir, fale diretamente comigo, deixando um recado no meu perfil. Não tem orkut? Deixa um comentário aqui mesmo, no blog. Não é difícil. Ou então deixa um recado lá embaixo, no mural. Ou ainda, mande-me um e-mail (aninha_seerig@hotmail.com) com o comentário FC, SK, blog FC ou algo do gênero. E, pra ti, que quer se manter informada sobre o FC e não tem orkut, add no msn (skandar.fc@hotmail.com).
Não importa o meio, o importante é que todas ajudem e colaborem para que este FC dê realmente certo e um dia possamos escrever: Fã Clube Oficial Skandar Keynes Brasil.

Nenhum comentário: